Estimulação Cardíaca Artificial

Estimulação Cardíaca Artificial

Estimulação Cardíaca Artificial

A estimulação cardíaca artificial é feita por três tipos de dispositivos eletrônicos implantáveis (Marcapasso, Cardiodesfibrilador e Ressincronizador)
Em comum, todos são compostos por um dispositivo eletrônico do tamanho aproximado de um relógio de bolso (e vem diminuindo cada vez mais), com um minicomputador e diversos algoritmos na memória, acompanhado de uma bateria, e tudo isso dentro de uma caixa de titânio. Eles têm eletrodos (um, dois ou até três) que conectam o dispositivo ao interior do coração, permitindo assim captar e enviar sinais elétricos ao músculo cardíaco.
A maioria das pessoas com um dispositivo cardíaco implantado voltam às suas atividades diárias normais assim que se recuperam totalmente da cirurgia. Entretanto pode haver situações em que o médico precisa pedir ao paciente que evite (pessoais e específicas para cada condição e patologia clínica). Vejamos algumas diretrizes gerais a serem seguidas.

Exercícios

O paciente pode retornar gradualmente ao seu estilo de vida normal, desde que seu médico lhe diga que é seguro fazer isso. A maioria das pessoas pode voltar a se exercitar após a recuperação. Todavia deve-se evitar contatos físicos fortes que possam provocar quedas ou atingir o local do implante, pois isso poderia danificar o dispositivo ou cabos-eletrodos. Recomenda-se falar com o médico sobre atividades específicas.

Viagens

Grande parte das pessoas com dispositivos cardíacos implantados podem viajar livremente, a não ser que sejam restringidas por problemas de saúde subjacentes. O ideal é planejar a viagem antecipadamente e conversar com o médico sobre: assistência específica ou recomendações sobre atividades, que atitudes tomar se houver desconforto ou sintomas, localização de centro cardiológico no local de destino (e/ou serviço de emergência).

Preocupações com a Segurança em Bancos e Aeroportos

Outra preocupação frequente é a respeito de sistemas de segurança em bancos e aeroportos. Recomenda-se ao portador de um dispositivo cardíaco implantado informar o pessoal da segurança, mostrando-lhe o cartão de identificação. Alguns locais possuem detector de metais que não interferem nos dispositivos, mas o portador deve afastar-se do sistema se estiver sentindo qualquer tontura ou pulsações rápidas. Em outros locais, pode ser necessária a realização de revista manual.

Os sistemas de segurança são detectores de metal, então o alarme pode soar quando detectam a caixa metálica do dispositivo cardíaco. Se a segurança usar um bastão eletrônico, o portador deve pedir que evite passar ou oscilar o bastão para frente e para trás sobre o dispositivo cardíaco.

Procedimentos Dentais e Médicos

Se você tem um dispositivo cardíaco implantado, informe sempre ao médico ou dentista antes de se submeter a algum procedimento. Em algumas situações, os procedimentos podem afetar potencialmente o seu dispositivo cardíaco, sendo necessárias medidas de precaução para prevenir ou minimizar qualquer impacto contra você ou seu dispositivo.

Advertências sobre Procedimento Médico

Alguns procedimentos médicos podem ser executados com segurança, se certas precauções forem tomadas pelo seu médico para evitar potenciais problemas de funcionamento do dispositivo ou interferências:

  • tomografia computadorizada (TC ou TAC)
  • ultrassom diagnóstico
  • eletrocauterização
  • eletrólise
  • desfibrilação externa e cardioversão eletiva
  • terapia de radiação de alta energia
  • terapia com oxigênio hiperbárico (TOHB)
  • litotripsia
  • ablação por radiofrequência
  • ultrassom terapêutico
  • estimulação elétrica transcutânea de nervo
  • circuito de transmissão para aparelho auditivo digital

Procedimentos Médicos Aceitáveis

Muitos procedimentos médicos não afetarão o seu dispositivo cardíaco. Entretanto o equipamento para o procedimento precisa ser usado corretamente e precisa ser adequadamente mantido.

  • Os procedimentos odontológicos que usam brocas ou sondas ultrassônicas para limpar os dentes são aceitáveis. Radiografias odontológicas também são aceitáveis.
  • Diagnósticos que utilizam raios x, como radiografias do tórax e mamografias, são aceitáveis.

Fale com seu médico para pesar qualquer risco potencial contra os benefícios do procedimento.

Compatibilidade Eletromagnética

Compatibilidade eletromagnética significa que o campo de energia elétrica gerado por um item elétrico é compatível com outros itens eletricamente sensíveis, como um dispositivo cardíaco implantável.

Os campos de energia ao redor de certos tipos de equipamento que usam eletricidade e ímãs podem afetar o funcionamento normal do seu dispositivo cardíaco implantado. Os campos energéticos criados em torno de itens elétricos podem ser fortes ou fracos. Quanto mais próximo desse item você estiver, mais forte será o campo.

A maior parte dos campos eletromagnéticos é pequena e fraca, não afeta o seu dispositivo cardíaco, mas itens elétricos com campo energético mais forte, como soldadores ou motosserras, podem afetar a terapia liberada pelo seu dispositivo.

Fale com o seu médico ou reveja o guia de compatibilidade eletromagnética se você tiver perguntas específicas sobre compatibilidade eletromagnética.

Agende sua consulta

Consultório Instituto do Coração (InCor - USP)

Consultório Hospital Sírio-Libanês

(11) 96681-0001

Agendamento de consultas apenas por Whatsapp
© 2019 Dr. Hugo Thomé

Agende sua consulta!

Consultório Instituto do Coração (InCor - USP)

Consultório Hospital Sírio Libanês

(11) 96681-0001

Agendamento de consultas apenas por Whatsapp